6 de Março de 2014 00:03

Câncer de pênis: lesões no pênis podem ser sinais de câncer?

O câncer de pênis é um tumor maligno raro que em geral ocorre depois dos 50 anos de idade. No Brasil, o câncer de pênis representa 2% dos cânceres que atingem o homem. Cerca de 1.000 amputações de pênis têm de ser realizadas a cada ano. Em virtude de preconceitos, excessivo pudor ou medo exagerado da doença costuma acontecer que os homens custem a admitir as lesões e a procurar solução para elas, o que acaba por retardar as intervenções necessárias e diminuir a eficácia dos tratamentos.

Quais são as causas do câncer de pênis?

O câncer de pênis está relacionado às condições socioeconômicas do paciente e dependem, em grande medida, de condições de higiene e de hábitos de comportamento. Ele parece ser favorecido pela fimose (pele que reveste a glande), acúmulo de esmegma (secreção branca resultante da descamação celular) e higiene local precária. O HPV também parece ser uma das causas do câncer de pênis, tal como é do câncer do colo do útero.

Quais são os principais sinais e sintomas do câncer de pênis?

O principal sinal do câncer de pênis é o aparecimento de uma massa tumoral (caroço) ou uma ferida avermelhada, que não cicatriza, na glande, no prepúcio ou no corpo do pênis. De início, essas lesões podem ser indolores, o que retarda o diagnóstico. Outros sinais são manchas esbranquiçadas ou perda de pigmentação na glande, presença de esmegma com cheiro forte e de gânglios inguinais inchados na virilha.

Como o médico diagnostica o câncer de pênis?

O diagnóstico do câncer de pênis depende de uma cuidadosa história clínica e de um exame físico bem feito. A suspeita em geral parte de lesões penianas que não cicatrizam ou não desaparecem com os tratamentos convencionais. Uma biópsia de tecido retirado do pênis ajuda a selar o diagnóstico, que idealmente deve ser feito o mais rápido possível, o que melhora muito as chances do tratamento.

Como o médico trata o câncer de pênis?

Quando o diagnóstico é feito precocemente, a cura pode ser alcançada com facilidade. O tratamento do câncer de pênis consiste na retirada cirúrgica ou na ressecção a laser das lesões malignas, com o duplo cuidado de retirá-las integralmente e preservar ao máximo o órgão, de forma a manter as funções sexuais e urinárias o mais próximo possível do normal. O médico pode optar associadamente pelo tratamento local com radioterapia. A utilização da quimioterapia irá depender da presença ou não de metástases. Somente nas fases avançadas da doença está indicada a remoção completa do pênis e dos gânglios inguinais. Os tratamentos geralmente não afetam a fertilidade dos pacientes, exceto em casos de amputação do pênis, por tornar o indivíduo impotente.

Como prevenir o câncer de pênis?

A incidência do câncer de pênis pode ser significativamente reduzida por meio de educação da população quanto a hábitos de higiene e comportamento sexual.
Mantenha uma boa higiene peniana diária, especialmente depois das relações sexuais.
Faça cirurgia de fimose, se a pele do prepúcio estiver impedindo a exposição da glande. Isso facilita a higiene local e a não acumulação do esmegma.
Use sempre preservativos nas relações sexuais. Isso pode prevenir a contaminação pelo HPV.
Esteja atento à perda de pigmentação, feridas, nódulos, tumorações no pênis e/ou na virilha, inflamação e coceira por longo tempo. 

 

Fonte: ABC.MED.BR



OUTRAS NOTÍCIAS
20 de Outubro de 2014 00:10
Transplante de pênis desenvolvido em laboratório poderá ser realizado em cinco anos

Um grande avanço na medicina pode estar prestes a acontecer, com pesquisadores do Instituto de Medicina Regenerativa de Wake Forest afirmando que pênis cultivados em laboratório podem estar disponíveis em breve para pessoas que sofreram acident... (continuar lendo)

17 de Outubro de 2014 00:10
Tratamento a laser combate falta de libido na menopausa

Um dos efeitos da chegada à terceira idade é a perda da libido. Segundo estudos, a falta de sensibilidade na região pubiana é que causa tal fato. Mas, com o aumento da expectativa de vida, mesmo entrando na menopausa por volta dos 50, as mulheres mantêm uma vida se... (continuar lendo)

16 de Outubro de 2014 00:10
SUS passa a oferecer antirretroviral para uso pediátrico

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, ligada ao Ministério da Saúde, torna pública a decisão de incorporar o antirretroviral raltegravir para uso pediátrico no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). A decis&... (continuar lendo)


Voltar-noticias

NOSSOS CONVÊNIOS

Confira alguns dos nossos principais convênios e parceiros de atendimento.

01
02
03
04
05
06
07
08
09
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23